30 de julho de 2010

Comentando os números do Vox

7 comentarios

Carta Diária Óleo do Diabo, Quinta-Feira 29 de julho de 2010

Na verdade, eu fiquei meio atrapalhado hoje. Agora sim arrumei tempo para fazer uns comentários sobre a pesquisa Vox Populi, cujo relatório completo acaba de ser publicado pelo instituto. Antes de tudo, lembremos mais uma vez que a pesquisa, divulgada semana passada, mostrou Dilma Rousseff oito pontos à frente de Serra, 41% X 33%.

Eu revirei esse relatório por todos os lados. O que mais chama atenção é a robusteza da petista. Confiram, por exemplo, a sequência abaixo.





Dilma tem uma avaliação positiva muito maior que Serra. A campanha negativa da imprensa não deu certo. Segundo o Vox Populi, 18% do eleitorado tem uma imagem "muito positiva" de Dilma, enquanto apenas 10% disseram ter a mesma opinião sobre Serra. Números bem legais para um "poste", não?

Repare que ela desfruta de uma imagem extremamente favorável junto às faixas de renda mais baixas, o que lhe assegura um voto firme junto ao eleitorado mais volumoso, e isso apesar de ser bem menos conhecida. É importante confrontar esses dados com os que informam sobre o grau de conhecimento dos candidatos. Repito abaixo sequência do post anterior sobre isso.



Enquanto apenas 2% dos entrevistados afirmaram não conhecer José Serra, um total de 6% afirmaram o mesmo sobre a candidata petista. Serra é bem mais conhecido que Dilma, conferindo à petista um grande potencial de crescimento.

*

6 - O PRESIDENTE LULA
6.1 - CANDIDATO APOIADO
Pelo que você sabe ou já ouviu dizer qual destes(as) é o(a) candidato(a) a presidente da república que tem o apoio do presidente Lula?



Repare que 18% dos entrevistados, ou mais de 20 milhões de eleitores, deram respostas equivocadas (ou não sabiam) sobre quem era o candidato apoiado pelo presidente Lula. Os números são muito volumosos entre as faixas de renda mais baixas e com menos instrução. É interessante analisar isso porque mostra que a mídia nacional não está cumprindo a sua função de levar informação correta à população. Teremos que esperar o início da propaganda eleitoral e o próprio "calor" do processo para observamos uma redução substantiva desse déficit de informação. Possivelmente nas eleições deste ano veremos gente votando sem saber quem é o candidato apoiado por Lula.



A tabela acima também é muito importante para compreender o processo político. Deixe-me explicá-la para quem não a entendeu bem. Ela mostra que 43% das pessoas que declararam voto em Serra ERRARAM quando questionados sobre quem é o candidato apoiado por Lula.  Ver comentário do Artur (o segundo) sobre essa tabela. Ou seja, grande parte do eleitorado de Serra não tem consistência, é composta por cidadãos que ainda não receberam a informação que é, obviamente, a mais importante para as eleições deste ano: quem é o candidato da situação, e quem é o candidato da oposição. O próprio Serra vem, deliberadamente, contribuindo para isso, ao afirmar que não é oposição, o que é um engodo, um ato de cinismo, uma tentativa de ludibriar o povo, visto que todas as forças que o apóiam integram uma oposição bastante radicalizada.

*

A conclusão que podemos tirar dos números do Vox Populi é que ainda há um percentual elevado de eleitores que não sabem que Dilma é a candidata apoiada por Lula, mas essa ignorância não deverá durar muito. A campanha dilmista tem até o dia 3 de outubro para sanar esse déficit. No próprio dia da eleição, mesmo sendo proibido o boca de urna, a pessoa mais desinformada do Brasil poderá ouvir alguém na rua cantando um jingle ou vociferando alguma preferência, deixando bem claro quem é quem.

29 de julho de 2010

Vox Populi divulga íntegra de pesquisa de julho

2 comentarios

O blogueiro já deu uma boa olhada e separou e editou as seguintes tabelas:


*

6.3 - CONTINUIDADE OU MUDANÇA DE POLÍTICAS
Para você, o próximo presidente da república deve:


*

Vou citar para você o nome de alguns possíveis candidatos a presidente e gostaria que você me respondesse algumas perguntas sobre cada um deles, vamos falar de: Dilma Rousseff, José Serra e Marina Silva. Com relação a ________ você diria que:




*

3 - INTENÇÃO DE VOTO ESTIMULADA
3.1 - CENÁRIO 1
Se a eleição para presidente fosse hoje, em qual destes candidatos você votaria?





Acho que nem precisa comentar muito, né? Os números são eloquentes. Se no Datafolha, que dava empate entre Serra e Dilma, já era possível observar uma enorme superioridade estatística da candidata petista, essa do Vox Populi, que deu 8 pontos de vantagem para Dilma, a situação de Serra é ainda mais desoladora.

Encontro de Blogueiros em São Paulo será nos dias 21 e 22 de agosto

Seja o primeiro a comentar!

(Via Azenha)

por Conceição Lemes

É definitivo. O 1º Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas será em São Paulo, capital, nos dias 21 (sábado) e 22 (domingo) de agosto no Sindicato dos Engenheiros, à rua Genebra, 25, ao lado da Câmara Municipal.

Na sexta à noite (20), Luis Nassif, seu bandolim e grupo fazem show de boas vindas no Sindicato dos Bancários**. Será regado a chorinho, samba, MPB e cerveja caseira (haverá outras) feita especialmente por Hans Bintje (querido leitor) para celebrar esse encontro histórico. Nassif aguarda sugestões para o repertório.

Já estão inscritos 152 blogueiros de 15 unidades da Federação: Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

PASSAGEM AÉREA MAIS BARATA E HOSPEDAGEM SOLIDÁRIA

Um acordo fechado com a Gol barateará as passagens. Para saber quanto custará o bilhete, verifique a menor tarifa do seu trecho. Aplique 20% de desconto sobre o valor. É quanto custará.

O objetivo da comissão organizadora é garantir hospedagem gratuita ao maior número possível de participantes de outros estados e do interior de São Paulo.

Aliás, vários leitores já se ofereceram para hospedar em casa blogueiros. Obrigadíssima. Precisamos de mais hospedagem solidária.

Quem puder, por favor,envie e-mail para contato@baraodeitarare.org.br ou telefone para (011)3054-1829. Fale com Daniele Penha, do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, uma das entidades apoiadoras do encontro. Apóiam-no institucionalmente também a Associação Brasileira de Empresas e Empreendedores da Comunicação (Altercom) e o Movimento dos Sem Mídia (MSM).

Daniele Penha informará também sobre inscrições e passagens aéreas. As inscrições custam 100 reais. Estudantes pagarão 20 reais.

JÁ SÃO 15 OS AMIGOS DA BLOGOSFERA

A campanha Amigos da Blogosfera, lançada há duas semanas, está a todo vapor. Ela ajudará a custear parte das despesas de blogueiros que virão de outros estados.

São 20 cotas de 3 mil reais. Estas 15 estão confirmadas:

Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo)

CUT (Central Única dos Trabalhadores) nacional

CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil)

Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região

Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo***

Federação Nacional dos Urbanitários (FNU)

Federação dos Químicos de São Paulo

Agência T1

Café Azul***

Carta Capital

Conversa Afiada

Revista Fórum***

Seja Dita a Verdade

Viomundo

Importante: no início da próxima semana, divulgaremos a programação completa.


* Comissão Organizadora: Luiz Carlos Azenha, Paulo Henrique Amorim, Luis Nassif, Altamiro Borges, Conceição Lemes, Eduardo Guimarães, Conceição Oliveira, Rodrigo Vianna, Renato Rovai e Diego Casaes.

** O Sindicato dos Engenheiros do Estado de São Paulo fica na rua Genebra, 25. É onde ocorrerão os trabalhos dos dias 21 e 22 de agosto. O show do Luis Nassif será na Regional Paulista do Sindicato dos Bancários: rua Carlos Sampaio, 305.

*** Essas cotas vão ser pagas, respectivamente, com locação, produção de logomarca, banner para web e hotsite e confecção e impressão de cartazes.

--

Nota do Óleo do Diabo: Eu vou!

28 de julho de 2010

A lei das palmadas não é uma bobagem, Kostcho

12 comentarios

Carta Diária Óleo do Diabo, Quarta-Feira 28 de julho de 2010

Não é tão difícil se tornar pop. O jornalista e blogueiro Ricardo Kotscho parece ter aprendido uma das lições, que é apertar o calo da ignorância e da desinformação. Primeiramente, foi a Folha, que estampou manchete garrafal afirmando que 54% da população é contra a "proibição da palmada". E agora vem Kotscho surfar alegremente na onda.

Acontece que tudo é uma questão de como você aborda a questão. Se um entrevistador chega para um pai e pergunta se ele é favor de uma lei que proibe que ele dê uma palmadinha em seu filho, ele responderá, naturalmente, que é contra. Aliás, me espantou saber que 36% dos entrevistados pelo Datafolha disseram ser favoráveis à lei.

Entretanto, o cerne da lei não é a palmada, romantizada aqui por Kotscho de uma maneira revoltante, e sim a tortura infantil. Afinal, o que é uma palmada?

Trecho do post de Kotscho:

O que estamos percebendo hoje é uma clara contradição entre o mais longo período na nossa história recente de respeito às liberdades públicas _ de expressão, de organização político-partidária, religiosa e social _, enquanto se engendram restrições às liberdades individuais, como se leis deste tipo pudessem nos fazer mais felizes e saudáveis.

Proibir o espancamento de criança é "restringir" a liberdade individual? Não gostou do termo "espancamento" de criança? Ué, se você minimiza a "palmada", ou posso aumentar um pouquinho, não?

Há neste caso um terrível erro conceitual. A lei não é feita para restringir a liberdade dos pais, e sim para ampliar a liberdade das crianças. Não pode se comparar isso à lei antifumo. Proibir o pai de bater numa criança pequena, indefesa, é diferente de proibir o indivíduo de fumar em recinto fechado.

Inicialmente, eu reagi com indiferença à lei do fumo porque eu não fumo. Ouvia meus amigos vociferarem contra aquela invasão "das liberdades individuais" e nem ligava. Às vezes é saudável cultivar um certo egoísmo. Até que li em algum lugar que os maiores beneficiados pela lei antifumo são... os garçons, porque eram eles as maiores vítimas. Os trabalhadores desses estabelecimentos, mesmo não fumando um cigarro, inalavam toneladas de nicotina todas as noites. Isso me convenceu de que houve justiça, portanto.

Sobre a "lei da palmada", Kotscho pegou o caminho mais fácil. Ele poderia ter usado a sua influência para tentar esclarecer a população. Preferiu apostar na ignorância, repetindo a estratégia da Folha e sua manchete. Há algum motivo para se bater num bebê? Há motivo para se bater numa criança de dois ou três anos?

Existem muitas formas dos pais educarem seus filhos sem apelarem para a violência física. Em primeiro lugar, um bom esporro verbal. Se o pai não sabe usar o verbo para castigar um filho, então aprenda. Assim como é mais fácil surfar na ignorância para ganhar popularidade na internet, é mais fácil dar uma pancada no filho em vez de um esporro verbal seguido de um esclarecimento geral sobre a situação.

O bebê, a criança, o adolescente, já são, por natureza, dependentes dos pais para sobreviverem. O poder dos pais permanece intocável. Ele pode usá-lo à vontade para castigar os filhos. Só não vale bater. O Brasil, caso você não tenha percebido, sr.Kotscho, é um dos países mais violentos do mundo. Uma lei que ajude a coibir a violência contra as crianças já é um grande avanço. As crianças, apesar de dependentes dos pais, são seres humanos dotados de direitos, e cabe ao Estado, sim, defendê-las das sevícias domésticas.


Tags: Lei da palmada, violência, liberdades individuais, Ricardo Kotscho.

Clipping de quarta-feira, comentado

5 comentarios


(Do Panorama Político, O Globo, quarta-feira 28/07)

Que coisa ridícula, héin? Estou cansado de usar a palavra ridículo no blog, tenho que pensar num sinônimo. Os caciques do PSDB vivem batendo cabeça. Ninguém se entende. Sabe por quê? Não tem um projeto de país. Não tem ideologia.  Qual a ideologia do PSDB? Alguém pode criticar a Dilma por reunir forças que representam ideologias diferentes. Mas o que não falta são ideologias. Diferentes, confrontando-se dialeticamente, mas presentes, vivas, fortes, vibrantes. A falta de ideologia do PSDB é o que o faz girar em torno do DEM, partido menor, em declínio, mas coerente em termos ideológicos. É incrível, mas o cérebro da candidatura serrista parece alojar-se antes no DEM do que em seu próprio partido.

E agora essa briguinha em Pernambuco. Repare no que diz o jarbista: dos 17 prefeitos tucanos, só três ainda estão com a gente (ou seja, não apóiam Jarbas, do PMDB, palanque de Serra no estado). Estas eleições servirão para quebrar a crista de muita gente, a começar pelo arrogante Jarbas Vasconcelos.

A notícia do Globo é confirmada por nota na coluna Painel, da Folha:
Calcanhar. Outra dor de cabeça na campanha tucana é a debandada de prefeitos e candidatos a deputado em Pernambuco. Em vez de apoiar Jarbas Vasconcelos (PMDB) ao governo, alguns têm anunciado ir de Eduardo Campos (PSB) - palanque de Dilma no Estado.

*

Olha o que eu achei na coluna do Nelson de Sá, Toda Mídia, publicada diariamente na Folha:

Sob contrato. Também nos sites de mídia, destaque para os registros vazados sobre programas no Afeganistão em que as forças americanas "pagam organizações locais de mídia para produzirem reportagens amigáveis". Os textos chegam a falar em "nossos jornalistas".

*

Dilma continua rebatendo as baixarias de Serra com elegância, mas com dureza e deixando bem claro a todos que o tucano vem desqualificado o debate eleitoral. E fez uma afirmação grave, mas cristalina e inegável: Serra tem manipulado o seu vice para fazer o jogo sujo. Indio da Costa tem desempenhado o clássico papel de bucha de canhão.

*

Dora Kramer, do Estadão, acha que o Índio da Costa e Serra agem bem quando fazem carnaval em torno das Farc. Em sua coluna de hoje, a jornalista também cobra afirmações de Dilma sobre ligações do PT com as Farc. Com isso, ela finge não entender, naturalmente, que o PT se recusa a responder porque, naturalmente, não tem relação nenhuma. Kramer traz à tôna afirmações de Garcia feitas em 1999, numa outra realidade. Ela manipula a verdade. Não diz que Arthur Virgílio, do PSDB, encontrou-se com guerrilheiros das Farc. Não diz que o próprio presidente da Colômbia, Andres Pestrana, havia celebrado um acordo político com a organização.

*

Nesta matéria no Estadão, que trata de uma briguinha entre o presidente do PT e o presidente do PSDB, reparei numa coisa: os tucanos, na hora do aperto, correm sempre para a história do dossiê. Confira a resposta de Guerra à uma provocação de seu adversário:
De acordo com Sérgio Guerra, "muita gente da esquerda sabe que Serra é mais progressista que todo o PT junto". E atacou os adversários: "Eles se associam no subterrâneo a interesses nem sempre republicanos, e na prática apoiam gente que quebra sigilo e que constrói dossiê".

Eu fiquei curioso em saber, contudo, onde está essa "muita gente da esquerda que sabe que Serra é mais progressista que todo o PT junto". Estão escondidos aonde? Na taba do Indio?

*

Essa informação foi publicada em todos os jornais, mas no Estadão traz dados mais completos. Ciro Gomes encontra Dilma hoje e vai gravar programa de TV em apoio à ela.

27 de julho de 2010

Serra injeta ânimo na ultradireita

5 comentarios

Carta Diária Óleo do Diabo, Terça-Feira 27 de julho de 2010


Acredito que estão todos ainda um pouco estupefatos com a decisão do Serra de se jogar de vez no colo da ultradireita. Entretanto, nada mais natural. O tucano, com todos os seus defeitos, é um autêntico ser político, um veterano, dotado de sensibilidade suficiente para saber onde pode encontrar um suporte mais firme, um apoio mais autêntico.

Reparem, todavia, na profunda diferença entre um candidato apenas conservador, com laivos de esquerdismo desenvolvimentista, como era o Serra até há pouco, e o furibundo neocon, o ultradireitista pró-América, no qual o tucano se transformou de umas semanas para cá.

Uma das diferenças é a questão geopolítica. Serra pendurou-se com as duas mãos no discurso machartista das grandes mídias latino-americanas. Ao fazê-lo, porém, atrelou-se a um poder em decadência e coloriu o seu partido, o PSDB, de cores que não são as da bandeira brasileira.

Serra parou de fazer intervenções propositivas, como vinha fazendo até então, do tipo: "Lula fez muito, agora é hora de fazer mais, e só eu posso fazer mais". E passou a efetivamente a fazer oposição. Mas escolheu o caminho mais triste, que é alinhar-se a interesses que, definitivamente, não são os nossos.

Ontem, em reunião com empresários, Serra virou-se de costas e mostrou a suástica que tatuou no traseiro.

Seu discurso foi recheado de tantos desatinos que custa a acreditar. A ficha demora a cair porque foram dezenas de fichas depositadas quase simultâneamente.

Dizer que "todo mundo sabe que Chávez abriga as Farc", é de uma leviandade estarrecedora. Chávez rompeu relações diplomáticas com a Colômbia, justamente como forma de negar veementemente qualquer ligação com as Farc e mostrar que a acusação da Colômbia é ofensiva.

Logo depois, o próprio Chávez fez pronunciamento contra a guerrilha, conclamando os movimentos de luta armada da Colômbia a desistirem de seus intentos e a resignarem-se à política democrática convencional, única maneira legítima de conquistar o poder.

A Venezuela é um de nossos principais parceiros comerciais. Nos últimos anos, importou bilhões de dólares em produtos brasileiros de alto valor agregado. Em 2009, a Venezuela ficou em nono lugar no ranking dos principais compradores de produtos brasileiros, com a importação de 3,61 bilhões de dólares. No quesito preço, a Venezuela ficou em primeiro lugar, comprando produtos brasileiros no valor médio de 2.027 dólares a tonelada. Para efeito de comparação, a China pagou 113 dólares por tonelada pelos produtos que importou do Brasil em 2009. Os EUA pagaram 808 dólares a tonelada.

Só existe um culpado pela existência das Farc, ou melhor dois culpados: ela mesma e o governo colombiano. O governo Uribe foi ineficaz porque apelou exclusivamente para o discurso troglodita e militar.

O discurso histérico de Serra em relação às Farc é particularmente odioso porque ele é um homem experiente. Ele sabe que nem sempre as Farc foram consideradas "terroristas". Tanto é que o próprio governo colombiano, na gestão de Andres Pastrana, iniciou negociações com as Farc. O presidente, antes de ser eleito, chegou a ser fotografado ao lado do líder guerrilheiro Manuel Marulanda, em que este portava um relógio símbolo da campanha de Pastrana. Depois de eleito, Pastrana entregou às Farc uma área inteira do país, por quase os quatro anos de seu mandato.


(O presidente da Colômbia e o líder guerrilheiro Manuel Marulanda. Link da foto).

O termo "terrorista" passou a ser definitivamente associado às Farc após o atentado de 11 de setembro de 2001, quando os EUA promovem uma radicalização de sua visão de mundo. Pode-se dizer, aliás, que o governo colombiano, já desde César Gaviria, vinham conseguindo, paulatinamente, desmantelar a guerrilha. É aí que os EUA entram em cena com seu Plano Colômbia, acertado com Pastrana nos últimos meses de seu mandato, em 2002. As negociações com a guerrilha são canceladas e o governo colombiano, abastecido com 2 bilhões de dólares dos contribuintes norte-americanos, volta a perseguir as Farc.

Serra sabe de tudo isso. Sabe também que foi Fernando Henrique Cardoso, então presidente, que deu início ao diálogo com representantes das Farc. O atual senador Arthur Virgílio, do PSDB, encontrou-se por diversas vezes com líderes guerrilheiros quando estes vinham ao Brasil. Segundo reportagem do JB de 1998, Virgílio teria tentado, inclusive, interceder em favor das Farc junto ao Itamaraty, para que lhes fossem concedido o status de "força beligerante", que é uma terminologia bem mais suave e mais política; o Itamaraty se recusou.

Mas as Farc nunca tiveram "ligação" com nenhum dos grandes partidos brasileiros. Apenas esses encontros esporádicos com alguns políticos, e durante o período em que até o presidente da República da Colômbia dialogava com elas.

O candidato tucano não ficou por aí. Ele acusou o governo Lula de "patrimonialismo bolchevique". Um amigo do Twitter comentou que essa expressão faria um sucesso danado em Crato. Mas discutamos isso outro dia.

26 de julho de 2010

Datafolha: 51% dos mais ricos acham que Dilma vai ganhar

4 comentarios

Carta Diária Óleo do Diabo, Segunda-Feira 26 de julho de 2010



O instituto de pesquisa controlado pelo grupo Folha finalmente liberou o relatório completo das últimas sondagens que fez sobre as intenções de voto e a avaliação do governo.

O primeiro é um documento com 41 páginas, o segundo, com 18. Vamos analisar o primeiro, que trata das intenções de voto.

Bem, muita coisa já foi dita e tentemos não ser repetitivos.

Para mim, essa foi uma das tabelas que mais me chamou a atenção.


Repare que, em TODAS AS REGIÕES, a população acha que Dilma vai ganhar as eleições. Essa impressão deve se consolidar com a divulgação da pesquisa Vox Populi. E este empate meia-boca do Datafolha, rodeado de números negativos para Serra (perde na espontânea, tem mais rejeição, etc), também deve agravar o quadro.

Esta confiança na vitória de Dilma ajuda muito a mobilizar a militância e a atrair núcleos políticos ainda indecisos, sobretudo no campo do centro e da direita. Será importante, para convencer setores recalcitrantes do PMDB a aderirem ao projeto dilmista. Em especial, o PMDB gaúcho. Também incentivará a criação dos híbridos mineiros, com prefeitos e líderanças políticas apoiando o governador Anastasia, do PSDB, mas também Dilma Rousseff. Ou talvez, no caso de Minas, nem isso, já que Anastasia não decola. A força de Dilma ajuda a candidatura de Helio Costa e possivelmente, a sua posição firme e isolada na liderança das pesquisas, deve estar atraindo muitos núcleos políticos que pensavam em aderir ao candidato de Aécio Neves.

Outra tabela que eu achei interessante é essa, com as intenções espontâneas divididas por alguns estados:


(clique para ampliar)

Repare que Dilma empata com Serra em São Paulo! Ganha disparado no Rio. O problema real dela está no Rio Grande do Sul e no Paraná. Se a petista conseguir melhorar um pouquinho nessa região, aumentam sobremaneira suas chances de ganhar no primeiro turno.

E agora, a estimulada por estado:


Repare que Dilma está crescendo em toda parte. Mesmo em São Paulo, ela tem 30% do eleitorado. Não será surpresa se a petista ganhar de Serra no próprio curral tucano.

*

Vejamos agora a estimulada por categorias sociais:


(clique para ampliar)

Serra ganha disparado entre jovens entre 16 a 24 anos, e perde disparado entre os que tem 25 a 34 anos. Apenas posso atribuir isso à falta de informação, maior entre os mais jovens. O núcleo forte de Dilma Rousseff, segundo o Datafolha, é a faixa etária de 25 a 44 anos, ou seja, o jovem maduro. Eu acho um bom sinal. Outro bom sinal é que Dilma ganha entre os eleitores com ensino médio e superior, o que é mais um aspecto a revelar que a petista leva vantagem sempre que há mais informações sobre o que sua candidatura representa. Serra ganha somente entre os cidadãos com apenas o ensino fundamental. É justamente nessa faixa que se encontra o maior número de cidadão que "não sabem" em quem votar e não sabem que Dilma é a candidata apoiada por Lula. Considerando que essa é a faixa social que mais apóia Lula, não é absurdo pensar que Dilma tem muito espaço para crescer junto a esse eleitorado.

Por fim, uma última tabela. Repare que, numa entrevista espontânea, os mais ricos são os que têm mais certeza na vitória de Dilma. Os mais pobrinhos, por sua vez, embora também estejam certos da vitória da petista, registram um percentual muito maior de incerteza: 33% deles afirmam "não saber quem vai ganhar". Entre os ricos, somente 17% responderam não saber.


P.8 Na sua opinião, quem vai ganhar as eleições para presidente da República em outubro ?
(Resposta espontânea e única, em %)


+ Clipping

1 comentário

(Wesley Duke Lee)
  • Fogo amigo. Colunista da Folha, um dos representantes da "nova direita", ataca os métodos do seu grupo. Fernando de Barros e Silva será um daqueles personagens de Tostói, que após mil sofrimentos e derrotas, mudam sua maneira de pensar?
  • Marta lidera a disputa para o Senado paulista. Tucano Aloysio Nunes, o homem que Serra tentou emplacar para o governo do Estado (pena que não insistiu) amarga sétimo lugar nas pesquisas do Datafolha. 
  • Outro colunista da Folha tenta disfarçar mas não consegue esconder o forte favoritismo da Dilma, segundo o próprio Datafolha.
  • Bancada de PSDB e DEM pode cair de 6 para 3 senadores, segundo Datafolha.

Entretanto, a notícia mais bombástica desta segunda-feira é outra. Ela comprova que o brasileiro é conservador e truculento, e por isso vai votar em Serra. A Folha pesquisou e descobriu que a maioria dos brasileiros são de direita e gostam de dar e levar palmadas:


Baixarias & etc

Seja o primeiro a comentar!

Pois chegou a campanha eleitoral e a oposição resolveu enfrentar Lula. Pagou para ver se é perigoso mesmo dar o troco na mesma moeda: dizer umas meias-verdades por aí, carimbar umas perfídias na testa do adversário, manipular emoções do eleitorado, manejar ideias preconcebidas, despertar instintos adormecidos, jogar duro e, quando necessário, baixo.

Dora Kramer, em sua coluna de sexta-feira, no Estadão.

Eu sabia que não iria demorar muito para que os eunucos da grande imprensa desistissem de se lamuriar contra as burrices tucanas e passassem a fazer aquilo para o qual são pagos: defender o patrão.

A Cantanhede toca o bumbo da guerra como tábua de salvação. E Dora Kramer nos vem com essa, de que a oposição, "quando necessário", tem que jogar "baixo".

*

O mais engraçado mesmo é ler os analistas de pesquisa da Folha, cujo universo estudado se restringe aos números do Datafolha. O PHA referiu-se a eles como curandeiros que se embriagam com a própria beberagem alucinógena.

A tucanada reagiu com extrema truculência aos números do Vox Populi. Aquela pose que os tucanos tinham, de moderninhos, limpos e educados, resolveram trocar pela de caminhoneiro psicopata, sujo e bêbado, que espanca a mulher e se mete em briga sempre que vai a um bar.

Nos bastidores, os tucanos subiram o tom, afirmando que a pesquisa é uma fraude e que estaria adubada. A expectativa dos tucanos é que a pesquisa Datafolha, que será divulgada hoje, tenha resultado diferente. (Globo, 24/07)

*

Serra é um homem violento. Isso ele já demonstrou várias vezes. A declaração que fez há pouco, referindo-se ao jornalista Luis Nassif, de que tal informação havia circulado em blogs do "Nassif" para baixo, consagra o tucano como um político descontrolado, com instintos agressivos explodindo por todos seus poros. Serra mostra que é filiado à escola de políticos que vem aplicando tapas e socos no rosto de eleitores e jornalistas.

*

Tia Carmela explica que a UDN, partido do Zezinho, não tem ligação com a CIA.

*

Serra perdeu qualquer espontaneidade que talvez tenha possuído um dia. Ele tem repetido, sem qualquer esforço em parecer diferente, os clichês midiáticos. Por exemplo, essa história das Farc. Os gurus da ultradireita psicodélica e seu exército de débeis mentais engoliram as frases de Indio sobre Farc, narcotráfico, Cuba, como se jorrasse néctar dos céus diretamente para seus maus-hálitos.

*

Se este empate meia boca foi o máximo que Serra conseguiu do Datafolha, então ele está mau mesmo. Uma análise rápida da pesquisa mostra que, olhando o conjunto dos números, o tucano tem uma posição muito inferior. Pesquisa eleitoral é como a economia do país. Não se avalia apenas o crescimento do PIB, mas também a inflação, o desemprego, as obras em andamento, etc. O Datafolha mostra Serra perdendo feio na espontânea (16%, contra 21% de Dilma). A maioria (41%) dos entrevistados acreditam na vitória da petista, contra 30% que apostam em Serra. A rejeição ao tucano é muito maior, 26% contra 19% de Dilma. O voto em Dilma é mais convicto: 78% dos que a apoiam afirmaram estar "totalmente decididos"; somente 67% falaram a mesma coisa de Serra.

Afora isso, a consagração cada vez mais evidente de Lula como um dos maiores estadistas da história brasileira, conforme se depreende dos números impressionantes de sua popularidade (altíssima em todas as classes e regiões do país) lhe dá um poder cada vez maior para transferir votos para sua candidata. Só não vê quem não quer. E aí Serra está lascado, porque iniciou sua estratégia tentando captar a simpatia do eleitor lulista com elogios ao presidente. O tucano, ele e seus 270 assessores de comunicação, estão num mato sem cachorro.

*

O PSDB não entende que vitórias políticas raramente nascem de estratégias mirabolantes de propaganda. Os tucanos não demonstram compreender a necessidade de construção lenta e paciente de uma base política e ideológica, nas universidades, no chão das fábricas, nas ruas. Eles ofendem os sindicatos por serem filiados a partidos, agredindo com isso a dignidade e a liberdade política dos trabalhadores de escolherem o partido de sua preferência.

A única maneira pela qual um brasileiro pobre ou mesmo de classe média, sem sobrenome famoso, pode conquistar um cargo de representação política é através de algum sindicato. O ataque midiático aos sindicatos, e ao aumento do número de sindicalistas no top do poder político, é uma facada no coração do espírito democrático. É um gesto plutocrático, de quem sabe que, desmoralizando o sindicato, enfraquece a participação das classes mais baixas e favorece os ricos e os grandes empresários.

*

Trecho de Angústia (1936), do Graciliano Ramos:

(...)Medo da opinião pública? Não existe opinião pública. O leitor de jornais admite uma chusma de opiniões desencontradas, assevera isso, assevera aquilo, atrapalha-se e não sabe para que banda vai. Ouvindo-o, penso no tempo em que os homens não liam jornais. Penso em Filipe Benigno, que tinha um certo número de idéias bastante seguras, no velho Trajano, que tinha idéias muito reduzidas, em mestre Domingos, que era privado de idéias e vivia feliz. E lamento esta balbúrdia, esta torre de Babel em que se atarantam os frequentadores do café. Quero bradar:
- Eles escrevem assim porque receberam ordem para escrever assim. Depois escreverão de outra forma. É tapeação, é safadeza.(...)

*

O Sardenberg achou "estranha" a decisão do BC de elevar os juros em "só" 0,5%. Queria mais. Para ele, BC está começando a se engraçar para o lado de Dilma, ora vejam. De certa forma, ele tem razão. O BC não pode trair o Serra agora. Ele tem que decidir por aumentos gigantes dos juros, para ajudar o tucano a se eleger.

*

Sai do armário, Folha. A nova ombudsman dos Frias descobriu que seu jornal torce pelo PSDB:

A reação não foi animadora: das 25 mensagens recebidas pela ombudsman, 24 acusavam o jornal de ser tucano e 1 de ser petista.

25 de julho de 2010

Voltando

2 comentarios

Consegui adiantar bem os trabalhos e organizei uma equipe para me ajudar. Agora posso navegar um pouco. Tem muita coisa boa para ler na blogosfera. Muita patetice nos jornais.

23 de julho de 2010

Carta Diária Óleo do Diabo, Sexta-Feira 23 de julho de 2010

8 comentarios

Serra ontem, em Porto Alegre:

Questionado sobre a declaração de Indio ligando o PT às Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e ao tráfico, Serra disse que "é preciso que o PT, que a Dilma explique as ligações" com o grupo. O tucano afirmou que os membros das Farc são "sequestradores, pessoas que cortam cabeças de gente". "Dilma nomeou a mulher de um deles no governo [o ex-padre Olivério Medina]. Dilma está devendo essa explicação da vinculação com essas forças terroristas", disse.

Bem, agora é com José Serra. O tucano chancelou a fala de seu vice, Indio da Costa, que acusou o PT de manter relações com as Farc. Não só isso, Serra tem reverberado esta insanidade. É um tremendo tiro no pé. Mas agora situação ganhou contornos trágicos. A Venezuela acaba de romper relações diplomáticas com a Colômbia, em protesto justamente contra a acusação de autoridades colombianas sobre a existência de bases guerrilheiras de origem colombiana em território venezuelano.

A acusação da Colômbia é ridícula. Eles que fazem merda, criam guerrilha, um grupo clandestino que vive escondido na floresta e botam culpa nos outros? É inevitável que as Farc, em suas fugas constantes do exército, transitem em território venezuelano. Mas o que é que Chávez ou a Venezuela tem a ver com isso? Eles são vítimas. A Colômbia exporta guerrilheiros para Venezuela e a Venezuela é a vilã?

Mas o contorno trágico a que eu estava me referindo é a sinalização, já devidamente autorizada por Eliane Cantanhêde, em sua coluna de hoje na Folha, de que os tucanos "gostaram" da crise entre Venezuela e Colômbia, que teria aparecido na hora certa, e pretendem usá-la para reforçar o papo das Farc.

A irresponsabilidade de Serra flerta com a loucura. A briga entre Venezuela e Colômbia não é brincadeira, porque embute a possibilidade, remota mas real, do surgimento do primeiro grande conflito bélico na América do Sul do século XXI. Usar isso para faturar eleitoralmente é desonesto, insensato, antipatriótico e criminoso.

*

Sabe o que é engraçado? Uribe é acusado de ser ligado ao narcotráfico por autoridades da inteligência americana , jornalistas são mortos na Colômbia como moscas, com ajuda de autoridades do governo, mas o malvado, o ditador, o "contra a liberdade da imprensa" é sempre Chávez... É que nem aqui no Brasil, políticos do PSDB são pegos com grandes carregamentos de cocaína, e o PT é que é ligado ao Comando Vermelho.

22 de julho de 2010

Carta Diária Óleo do Diabo, Quinta-Feira 22 de julho de 2010

1 comentário

Que merda, há anos que não acontecia isso! Perdi um post inteiro. E estava super-legal!!! Ai, ai, ai.



No post perdido, eu havia observado sobre o aspecto ridículo de satanizar a mulher apenas porque ela é do ABC. Lembrei que a moça não é filiada a partido político (e se fosse? que que tem?), há anos não se envolve com questões sindicais (e se se envolvesse, e daí?) e que o sindicato ao qual ela é filiado sequer é ligado a alguma central (e se fosse?).

Comentei também sobre a decisão do PSDB de desistir de participar da campanha de forma propositiva, e adotar uma estratégia monótona, de fazer o joguinho midiático. Só fala em dossiê. O problema dos tucanos é que eles não perceberam que os donos da mídia não são especialistas em eleições. Sabem algumas coisas, mas costumam se aferrar a fatos que, embora influenciem um setor específico da classe média, são solenemente ignorados pela maior parte da população brasileira, que tem mais o que fazer do que ser manipulada pelos cupinchas de Kamel e Otavinho.

*

Depois mencionei o surto de hoje de Indio da Costa, ligando o PT ao Comando Vermelho. Por fim, levantei a questão se os leitores desses jornalões estão acreditando nessas ladainhas de "dossiê", "Farc", etc. Pode checar, por essa caixa de comentários, que somente os hidrófobos da ultradireita, que já eram voto de Serra mesmo, estão gostando da nova tática do PSDB.

*

O que eu consegui salvar foram esses raciocínios aí. Mas o post estava bem mais legal que isso. Fazer o quê?

21 de julho de 2010

Carta do embaixador venezuelano para o Estadão

4 comentarios

A carta do embaixador da Venezuela ao Estadão (via Azenha)

A O Estado de S.Paulo

Sr. Ruy Mesquita — diretor de Opinião

Sr. Antonio Carlos Pereira — editor responsável de Opinião

Sr. Ricardo Gandour — editor de Conteúdo

Senhores,

É com grande preocupação e mal-estar que a República Bolivariana da Venezuela, por meio de seu Embaixador no Brasil, dirige-se a esse jornal, de reconhecidas qualidade e tradição entre os veículos da imprensa brasileira. E a razão não é outra senão nossa surpresa e indignação com os termos e o tom de que sua edição de hoje (20/07/10) lança mão para atacar o presidente de um país com o qual o Brasil e os brasileiros mantêm relações do mais alto nível e qualidade.

O respeito à plena liberdade de imprensa e de expressão é cláusula pétrea de nossa Constituição e valor orientador do governo de nosso país. A estas diretrizes, no entanto, cremos que devam sempre estar associadas a lhaneza na referência a autoridades constituídas – democraticamente eleitas — e a plena divulgação de todos os fatos associados a uma cobertura jornalística.

Cremos descabido que um jornal como “O Estado de S.Paulo” se refira ao presidente Hugo Chávez, eleito e reeleito pelo voto livre da maioria dos venezuelanos, com o uso de termos e expressões como ”lúgubre circo de Chávez”, “autocrata”, “protoditador”, “circo chavista”, “caudilho”, “lúgubre picadeiro”, “costumeira ferocidade”, “rugiu”, “toque verdadeiramente circense da ofensiva chavista – no gênero grand guignol”.

Mais graves ainda são a distorção e ocultação de informações que maculam os textos hoje publicados.

O presidente Hugo Chávez nunca “atropelou” a Constituição Bolivariana, instituída por Assembleia Nacional e referendada em plebiscito. Ao contrário, submeteu-se, inclusive, a referendo revogatório de seu próprio mandato, prática democrática avançada que pouquíssimos países do mundo têm o orgulho de praticar.

O editorial omite que o cardeal Jorge Savino já foi convocado pela Assembleia Nacional para apresentar provas de sua campanha difamatória frente aos deputados — também democraticamente eleitos –, mas o mesmo rechaçou a convocação. Prefere manter suas acusações deletérias a apresentar aos venezuelanos e à opinião pública internacional os fatos que lastreariam suas seguidas diatribes.

Outros trechos do texto só podem ser lidos como clara campanha de acobertamento de um terrorista, como o é, comprovadamente, Alejandro Peña Esclusa: “O advogado de Esclusa assegura que o material foi plantado pelos policiais que invadiram a casa de seu cliente –- considerando o retrospecto, uma acusação mais do que plausível” (grifo nosso)

Esclusa foi preso em sua residência em posse de explosivos, detonadores e munição, após ter sido denunciado, em depoimento à polícia, pelo terrorista confesso Francisco Chávez Abarca –- este criminoso, classificado com o alerta vermelho da Interpol, foi preso em solo venezuelano quando dirigia operação de terror, visando desestabilizar o processo eleitoral de setembro deste ano.

A prisão de Esclusa ocorreu de forma pacífica, com colaboração de sua família, e segue os ritos jurídicos normais: ele tem advogado constituído, direito a ampla defesa e será julgado culpado ou inocente de acordo com o entendimento da Justiça, poder independente de influência governamental ou partidária, assim como no Brasil.

Inadmissível seria o governo da Venezuela ter permitido que um terrorista ceifasse vidas e pusesse em risco a democracia, que nos esforçamos arduamente para defender, ampliar e aprimorar em nosso país, assim como o fazem, no Brasil, os brasileiros.

O “Estado de S.Paulo” tem pleno conhecimento desses fatos, tendo inclusive recebido, em 14/07/10 a Nota de Esclarecimento desta Embaixada, a respeito do desbaratamento da operação terrorista internacional que estava em curso (cópia anexa). O responsável pela editoria Internacional, Roberto Lameirinhas, inclusive confirmou seu recebimento à nossa assessoria de comunicação.

Daí manifestarmos nossa estranheza com a reiterada negativa do jornal em dar tais informações a seus leitores. E ainda tomando como verdade declarações do advogado do referido terrorista.

Temos certeza que os senhores não desconhecem, até pela história recente do Brasil, o quão frágil pode ser a liberdade diante do autoritarismo tirano da intolerância e do uso do terror como método de ação política.

Reafirmamos que não nos cabe emitir qualquer juízo de valor sobre as opiniões político-ideológicas do jornal dirigido por V. Sas., por mais que delas discordemos. O que nos leva a enviar-lhes esta correspondência é, tão somente, a solicitação de que se mantenha a veracidade jornalística e o respeito que se deve sempre às pessoas, sejam ou não autoridades constituídas, mesmo quando o jornal as considere, de moto próprio, como seus inimigos ou desafetos.

Esta Embaixada permanece à disposição do jornal e de seus leitores, para esclarecimentos adicionais sobre quaisquer dos assuntos supracitados, bem como de novos temas julgados pertinentes e reivindica, formalmente, a publicação da presente carta, com o mesmo destaque dado ao editorial de hoje, intitulado “O lúgubre circo de Chávez”, publicado à página A3.

Atenciosamente,

Maximilien Arvelaiz

Embaixador da República Bolivariana da Venezuela no Brasil

Brasília, DF

Fast job

2 comentarios



Será que alguém consegue transcrever a letra dessa canção? O título dela é "Find it", de autoria de Lynn Carey e Stu Phillips. Ela abre o filme Beyound the valley of the dolls, Além do Vale das Bonecas, do Russ Meyer. Eu dou assinatura de 1 ano da Carta Diária para quem enviar a letra para oleodiario@gmail.com.

*

E já que eu abri a temporada de oferta de emprego, tem mais um trabalho aqui na firma. Para quem sabe muito bem inglês. Tem que saber a ponto de entender perfeitamente e transcrever o que os personagens de um filme estão falando. É um dos trabalho que eu faço, mas o prazo é curto demais para um volume tão grande de filmes. Tenho que contratar mão-de-obra. Eu pago, lógico. Pode entrar em contato no mesmo email citado acima.

Carta Diária Óleo do Diabo, Quarta-Feira 21 de julho de 2010

12 comentarios

Procuradora "rebelde" recua e diz que "não há motivo para impugnação de candidatura"

Não acho que "rebelde" (como a Folha adjetiva Cureau, em matéria com chamada na capa) seja um elogio adequado para uma procuradora eleitoral, mas o que importa saber é que Sandra Cureau parece ter caído em si. Em entrevista para a Folha desta quarta-feira, a procuradora visa, nitidamente, esfriar a crise que ela mesma havia ajudado a produzir.

Destaco esse trecho da entrevista:

Há dados para impugnar uma candidatura presidencial?
As multas aplicadas até aqui, sozinhas, não são capazes de impugnar. Não houve até aqui situações que possam caracterizar desequilíbrio das eleições. Teria de ter um ato que fizesse uma candidatura subir astronomicamente nas pesquisas. Isso não aconteceu. Quanto mais importante o cargo, mais cuidadoso você tem de ser, para não cair no golpismo.

Como assim?
Golpismo no sentido de alguém fazer uma artimanha para afastar o outro da eleição, pegar um ato apenas. Por isso tem de ser algo que desequilibre as eleições para levar a uma impugnação.

É natural que o procurador-geral da República, seu chefe, e as associações da categoria, tenham saído em sua defesa.

Mas é evidente também que todos perceberam a bizarrice de vermos uma procuradora eleitoral ganhar protagonismo midiático e político num cenário de forte tensão eleitoral. A procuradora deu declarações que foram usadas politicamente (e somente por um dos lados) e ajudou a criar uma atmosfera desagradável de instabilidade política, onde muitos sentiram inclusive o aroma de golpe. Tanto é que chegou às narinas da própria procuradora, levando-a declarar que seria "golpismo" pegar um ato apenas e querer impugnar uma candidatura. Para impugnar uma candidatura, afirmou, seria necessário provar que houve alguma coisa que tenha desequilibrado profundamente o processo eleitoral. "Isso não houve", declara Cureau, categoricamente.

As declarações de Cureau revelam ainda que ela foi, de certa forma, manipulada pela mídia, que através de suas perguntinhas e respostas, conseguiu arrancar da procuradora frases infelizes e interpretações afobadas que geraram manchetes, títulos e destaques fortemente negativos para um dos candidatos, produzindo um factóide eleitoral. Com isso, a procuradora fez exatamente o que ela está obrigada a coibir: desequilibrou a disputa.

As águas parecem voltar a seu leito agora. A reação do PT e da sociedade, mesmo que tenha sido apenas um latido alto, e não tenha se concretizado numa denúncia formal ao Conselho Nacional do Ministério Público, surtiu efeito.

Esperemos que a procuradora "rebelde" tenha amadurecido com o episódio e tomado juízo.


Tags: Sandra Cureau, juízo, Procuradora Rebelde, Folha, entrevista.

20 de julho de 2010

Carta Diária Óleo do Diabo, Terça-Feira 20 de julho de 2010

16 comentarios

Serra começa a perder aliados na mídia

Não há outro termo melhor para caracterizar a performance de José Serra: incompetência. Se alguém pensava que as trapalhadas e hesitações cometidas durante o processo de escolha do vice tinham encerrado o inferno astral do candidato, enganou-se redondamente. Não era inferno astral, era apenas um capítulo de uma novela picaresca de 900 páginas. Serra tornou-se uma espécie de Chaplin da direita. Caricato, bisonho, truculento, e o melhor de tudo: desastrado. O tucano escolheu o pior vice imaginável, um garoto deslumbrado, reacionário e - para citar o ministro Paulo Bernardo - idiota. Um completo idiota.

A própria a mídia serrista perdeu a paciência e passou a atacar a opção pela baixaria adotada pelos tucanos:

Vice do candidato José Serra eleva o tom em declarações inoportunas, que apenas contribuem para baixar o nível da campanha eleitoral

A frase acima é o subtítulo do editorial da Folha desta terça-feira. Na mesma edição, o colunista Fernando de Barros e Silva, membro da "nova direita jovem", também parece se afastar cada vez mais do serrismo desvairado que ainda, contudo, predomina em toda big press:

A escolha do jovem conservador boa-pinta e desconhecido para vice de Serra parece ter sido obra do desespero, mas, diz Coelho, se há nela alguma inteligência, seria a de "vocalizar o inconsciente político de um PSDB civilizado demais para o gosto da direita local, que é selvagem o bastante para aplaudir este Indio de terno e gravata" . (...) E Serra caminha para a direita, em parte, é o que parece, à sua revelia.

*

Eu perdi a oportunidade de comentar essa capa do Globo de domingo passado. O jornal juntou os brasileiros que ganham bolsa família, aposentadoria do INSS, e trabalham no serviço público, e chegou ao número de 48,8 milhões de pessoas. Aí multiplicou por dois e pimba! Cem milhões de brasileiros vivem com dinheiro público! Bando de vagabundos! Eu deixei passar porque, sinceramente, achei imbecil demais. Eis que passo a encontrar, porém, diversas cartinhas de leitores que, abordando outros temas, referem-se à notícia do Globo. Vejo ainda que o próprio Globo passou a usar a notícia como base para outros editoriais. Seria interessante que esses banzés esclarecessem a população que esse número ainda é pequeno se comparado com as nações desenvolvidas, onde a quase totalidade dos aposentados recebem dinheiro do Estado. Os EUA, que eram uma exceção, não é mais, visto que o governo americano teve que estatizar os grandes bancos e seguradoras.

*

Gostaria de comentar sobre o trem-bala. O tucano mostrou-se, mais uma vez, um homem político menor. A construção do trem-bala ligando Rio e São Paulo é fundamental para a consolidação do pólo industrial Sudeste. Sua importância, além disso, está ligada à criação de uma indústria nacional ferroviária, de alta tecnologia. Que importa se o dinheiro será público ou privado? O importante é fazer o trem. O governo ofereceu ao setor privado. É interesse de todos que os empresários invistam no Brasil, desafogando um pouco o caixa do Estado. O essencial, porém, é criar o trem-bala, que será modelo a ser usado em todo país, ligando talvez a nação inteira ou partes dela. Trens ajudarão a economizar combustível fóssil, reduzir o trânsito pesado nas estradas, e, sobretudo, darão conforto e segurança aos viajantes brasileiros. A criação de uma indústria ferroviária avançada, incentivada ou não por financiamentos públicos, deverá criar milhares de empregos de qualidade e produzir um novo setor econômico, gerando impostos e ajudando o país a crescer.

É muita mediocridade criticar o trem-bala dizendo que a verba pública deveria ir para metrôs. Ora, uma coisa não exclui a outra. O prato fica mais bonito quando é colorido! Em vez de pensar pequeno, Serra deveria elaborar um projeto de ampliação do metrô para São Paulo, ou dizer a seu partido para propor, no Congresso, um projeto nacional para financiar ampliação ou criação de metrôs em todas as grandes cidades brasileiras. Duvido que o BNDES se recusaria a financiar. A Petrobrás também poderia ajudar. Ou então, que se procurem financiamentos lá fora. Enfim, não creio que faltarão financiadores para um projeto bem elaborado e comercialmente garantido pela própria alta densidade populacional das metrópoles.


Tags: Farc, Serra, Indio da Costa, Baixaria, metrô, trem-bala, capa Globo, 100 milhões de brasileiros vivem com dinheiro público

19 de julho de 2010

Carta Diária Óleo do Diabo, Segunda-Feira 19 de julho de 2010

9 comentarios

Vale tudo: Serra chancela baixaria de Indio

Bem, agora não dá para dizer que foi "deslize" de um vice imaturo. As calúnias de Indio da Costa contra o PT, afirmando que o partido tem ligações com as Farc e com o narcotráfico, acabam de ser chanceladas por José Serra, em entrevista a um canal de TV de Minas Gerais.

- A ligação do PT é com as Forças Armadas Revolucionárias Colombianas. Todo mundo sabe, tem muitas reportagens, tem muita coisa. A Farc é uma força ligada ao narcotráfico, isso não significa que o PT faça o narcotráfico.

Está muito claro agora que Serra resolveu partir para o tudo ou nada. A estratégia é jogar o máximo de calúnias absurdas no ventilador e prometer qualquer coisa: duplicar bolsa-família, dar enxoval de bebê para gestantes. 

Serra tenta faturar, de um lado, com o pavor pequeno-burguês, pintando Dilma como uma terrorista de esquerda; de outro, tenta atrair o voto popular com promessas exageradas, inventadas no calor do momento. 

Mesclando duas estratégias desonestas, Serra apequena-se. Perde apoio dos poucos intelectuais que o apoiavam. Amplia sua rejeição entre a classe média esclarecida. E possivelmente será visto como um enganador pouco convicente pelo povo, que há tempos deixou de acreditar em promessas de políticos e só apóia o Lula porque vê as coisas acontecendo à sua frente, e não porque Lula tenha prometido alguma coisa ou seja "carismático".

Até agora não consigo acreditar que Serra, diante de artistas num restaurante da zona sul do Rio, o Fiorentina, conhecido antro de intelectuais de esquerda, tenha acusado o governo Lula de ser "uma república sindicalista". Acho que Serra endoidou. Sua tática não era posar de "esquerdista" liberal? E agora, em pleno coração da esquerda festiva do Brasil, o Fiorentina, o tucano profere o maior clichê da direita dos últimos 60 anos? 

Não me espanta que Maitê Proença, convidada a participar do programa de Serra na TV, tenha "gentilmente"  recusado...

A única explicação para Serra é que ele se tornou um conservador inescrupuloso, truculento, reacionário. E conseguiu arrastar a maior parte do PSDB para seu lado.


*

O Óleo do Diabo continuará publicando as Cartas Diárias no blog até o dia 05 de julho. 

18 de julho de 2010

Uma boa idéia: Duas semanas de Carta Diária grátis

4 comentarios

Amigos, tive uma boa idéia que deverá satisfazer a todos. Estou assoberbado de trabalho, como já disse, então decidi dar um tempo no blog. São só no máximo duas semanas. E de qualquer jeito eu não resisto e venho aqui de vez quando, postar alguma coisa. Mas continuo escrevendo para a Carta Diária. Minha idéia é oferecer um período de teste, gratuito, para todos, da Carta Diária. Assim, eu divulgo o serviço, vocês continuam acompanhando minhas análises, o blog é atualizado e ninguém fica aborrecido! Estarei, portanto, publicando a Carta Diária neste blog mesmo, durante esse período. Quem assinar a Carta agora, ganha essas duas semanas de brinde.

Segue abaixo a Carta de hoje, domingo (edição excepcional, pois normalmente a Carta é de Segunda a Sexta):

Carta Diária Óleo do Diabo, Domingo 18 de julho de 2010 Tags: Clóvis Rossi, Chávez, Simon Bolívar, história

A loucura antichavista chegou ao Brasil

Eu acompanhei as últimas crises políticas venezuelanas e percebi o grau de desequilíbrio psicológico crescente das elites daquele país. Chávez comete muitos erros políticos, como qualquer presidente, e ele mesmo admite isso. Ofender o Senado brasileiro, chamando-os de papagaios de Washington, por exemplo, foi uma estupidez que quase afundou o projeto de trazer a Venezuela para o Mercosul.

Entretanto, o preconceito besta contra Chávez aflorou de vez com a divulgação da notícia de que ele mandou exumar o cadáver de Simon Bolívar para dirimir uma dúvida sobre a morte do líder latino-americano. As críticas ao presidente venezuelano atingiram um grau de sectarismo e leviandade que só posso atribuir ao desequilíbrio psicológico e pela tola satanização de um projeto de governo apoiado pela maioria esmagadora dos venezuelanos.

Clóvis Rossi escreveu hoje a respeito um texto cheio de salemeleques e interjeições. Um texto leviano, bobo e terrivelmente ignorante. Se há dúvidas quanto à morte de Bolívar e se é possível dirimi-la exumando seu cadáver, é evidente que isso tem um grande valor para quem estuda a biografia de "El libertador". Essas coisas tem um valor científico que ignorantes preconceituosos como Clóvis Rossi fingem desconhecer.

Quanto à pompa com a qual Chávez tratou o caso, era mais do que necessária, tratando-se do maior herói do país e da América Latina.

Repare na profundidade da crítica de Rossi: "Deus meu, Cristo meu, digo eu, caramba. Se alguém aparecer de repente na praça da Sé com a Bíblia na mão e esse discurso messiânico (ou necrófilo?), vira folclore. Não faz mal a ninguém, a não ser a ele próprio. Diverte os transeuntes. Mas, se o cidadão com essa mentalidade é presidente da República, Deus meu, Cristo meu, transforma-se em um perigo ambulante. Não diverte ninguém, salvo sua corte. Menos ainda diverte os que são seus sócios no Mercosul."

Se a exumação de Bolívar tem relevante importância científica, qual o sentido ao comparar as frases do presidente Chávez ao que profere um mendigo louco da Praça da Sé???

Na realidade, a coluna de Rossi tem apenas uma TAG: falar mal de Chávez. Com isso, ele garante seu emprego por mais dez anos, e um prêmio Maria Caboot.

No início do texto, ele reverbera as calúnias sobre o envolvimento de Chávez com as Farc. E de uma maneira desonesta, ao pinçar uma frase antiga de Chávez, e descontextualizá-la. O importante é entender que a Venezuela não tem guerrilha. Esse é um problema da Colômbia, resultado da incompetência das elites políticas colombianas. Jogar a responsabilidade pela existência das Farc nas costas de Chávez é maucaratismo. A culpa é do governo colombiano, um governo de direita, a quem interessa a existência das Farc para continuar recebendo verbas dos EUA. É bastante claro também que, ao se posicionar de maneira tão aberta contra Chávez, o colunista da Folha afaga o núcleo do serrismo, que é a fonte das críticas mais sectárias contra o presidente venezuelano e contra a nova esquerda latina.

Ao final, ele ainda critica a entrada da Venezuela no Mercosul, alinhando-se às posições políticas do PSDB, que votou contra o ingresso do país no bloco.

No fundo, a dondoquice de Rossi soa apenas como uma mal disfarçada declaração de voto em Serra.

Abaixo o texto ridículo de Rossi.

São Paulo - Clóvis Rossi: O cadáver e o Messias

SÃO PAULO - O presidente Hugo Chávez tem todo o direito de tentar implantar na Venezuela o tal socialismo do século 21, ainda que, cada vez mais, incida no autoritarismo e na ineficácia que sepultaram o modelito século 20.
Não tem, no entanto, o direito de respaldar as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), grupo narcoterrorista.
Nem importa tanto saber se é verdadeira ou não a mais recente denúncia do governo da Colômbia que deu até as coordenadas completas de acampamentos do grupo na Venezuela. Chávez já disse, tempos atrás, que "respeita" o projeto político das Farc.
Quem respeita um projeto narcoterrorista não merece respeito.
Por incrível que pareça, nem o vínculo com as Farc assusta tanto quanto as esquisitices de Chávez. A mais recente: mandou exumar os restos mortais do libertador Simón Bolívar para investigar se morreu mesmo de tuberculose (versão oficial) ou foi assassinado.
As mensagens no Twitter em que anunciou a exumação que testemunhou são de arrepiar qualquer pessoa sadia:
"Alô, meus amigos. Que momentos tão impressionantes vivemos esta noite. Vimos os restos do grande Bolívar."
Depois: "Confesso que choramos. Digo a vocês: tem que ser Bolívar este esqueleto glorioso, pois pode-se sentir sua chama. Deus meu. Cristo meu".
Deus meu, Cristo meu, digo eu, caramba. Se alguém aparecer de repente na praça da Sé com a Bíblia na mão e esse discurso messiânico (ou necrófilo?), vira folclore. Não faz mal a ninguém, a não ser a ele próprio. Diverte os transeuntes.
Mas, se o cidadão com essa mentalidade é presidente da República, Deus meu, Cristo meu, transforma-se em um perigo ambulante. Não diverte ninguém, salvo sua corte. Menos ainda diverte os que são seus sócios no Mercosul.

17 de julho de 2010

Procuradora se baseia em mídia para perseguir Lula e Dilma

5 comentarios

O texto abaixo foi surrupiado da área de comentários do Nassif.


IV Avatar do Rio Meia Pon...
Esta procuradora vem repetindo erros há um bom tempo e até agora nenhuma corregedoria para puni-la por tais erros. Quando o presidente Lula fez entrega de navios em PE ela(Dra.Curau) aprontou o maior escarcéu na mídia e até usou recortes de jornais partidarizados como prova isenta e acabada
"(...)
Representação influenciada pela opinião pessoal de jornalista
Na última argumentação da representação, recorre novamente à citação de um parágrafo do jornal Correio Brasiliense, justamente um texto onde, em vez de se limitar a narrar fatos, há a expressão da opinião do jornalista, vilanizando a conduta da ex-ministra.

Ora, este texto acima expressa apenas a impressão pessoal que teve este jornalista que escreveu. Uma impressão pessoal claramente negativa da ex-ministra.
Outro jornalista, mais imparcial e objetivo, poderia narrar o mesmo fato como:
"Quando foi procurada pela imprensa, Dilma Rousseff concedeu entrevista, e diante da pergunta ... respondeu: 'O meu projeto é o do presidente Lula, que ajudei a construir quando ministra. É de continuidade? É. Mas, sobretudo, uma continuidade que constrói um caminho pelo qual se pode avançar.'"
De acordo com a Lei 9504/95:
Art. 36-A. Não será considerada propaganda eleitoral antecipada:
I - a participação de filiados a partidos políticos ou de pré-candidatos em entrevistas, programas, encontros ou debates no rádio, na televisão e na internet, inclusive com a exposição de plataformas e projetos políticos, desde que não haja pedido de votos, observado pelas emissoras de rádio e de televisão o dever de conferir tratamento isonômico; (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009).
Onde a Procuradora Sandra Cureau encontrou irregularidade na entrevista de Dilma Rousseff, citada no Correio Brasiliense?
Provas compostas de matérias jornalísticas?
A representação termina dizendo haver em anexo prova documental composta de matérias jornalísticas.
Se não me engano, já houve ministros do STF que disseram que denúncias com base apenas em matérias de jornais não tinham sustentação para serem acatadas.
Mas neste caso, a questão vai muito além. Exceto no caso do líder sindical (se for verdade o que o jornal diz), o próprio mérito da denúncia carece de fundamentação jurídica.
O que se percebe é uma forte influência da opinião formulada pelos editores de jornais sobre o ponto de vista da Procuradora.
Me parece extremamente temerário Procuradores da República adotarem como método para fazerem denúncias, seguirem apenas narrativas de jornais, sobretudo porque tem linha editorial ideológica alinhada com partidos como PSDB e DEM, e os jornais no Brasil misturam opinião em meio à notícia, induzindo o leitor a compartilhar o ponto de vista do editor que a publica.(...)
Obs: enquanto Goldman pede voto de forma assumida para Serra, a Dra. Cureau não vê isso, prefere pedir punição para um simples blog, estando pendente no TSE um pedido para que o Google delete o blog "os amigos do presidente lula"
E viva a imperatriz absolutista.
Eta nóis

*
A fonte, se é que entendi direito, é o blog Amigos do Presidente Lula. Mas eu a li no blog do Nassif.

16 de julho de 2010

Blogueiro atolado em trabalho

Seja o primeiro a comentar!

Meus queridos leitores, terei que fazer uma pausa de algumas semanas no blog. Não se preocupem, está tudo indo muito bem. O negócio é que preciso entregar um volume grande de traduções até o dia 05 de julho e eu acho mais prudente enfiar a cara no trabalho agora para não deixar furo. Continuo a escrever, naturalmente, na Carta Diária.

Sugiro a vocês que inscrevam seus emails no campo abaixo, para que possam ser avisados quando eu voltar à ativa. Comprometo-me, naturalmente, a não divulgar seus emails nem usá-los (com exceção do uso já mencionado: avisar sobre novidades no blog) nem comercializá-los em parte alguma.


Receba o blog por email


Observação importante: vocês receberão um email de confirmação. Clique no link indicado para efetivar o registro.

15 de julho de 2010

A instável situação de Serra no RS

6 comentarios

O candidato do PSDB à presidência da República, José Serra, não goza de uma situação confortável no Rio Grande do Sul. É o que se pode depreender de pesquisa Ibope no estado divulgada há poucos dias. Os pesquisadores foram a campo nos dias 6 a 8 de julho. O Óleo analisa, em primeira mão, os dados presentes na íntegra do relatório do Ibope para o RS. Acho importante ficarmos de olho bem aberto ao que acontece no Sul porque é a única região do país onde o tucano tem se mantido, de maneira incontestável, à frente nas pesquisas.


Ou seja, num dos estados em que registra seu melhor índice de intenção de voto, Serra terá o palanque de uma governadora impopularíssima e que sequer deverá chegar ao segundo turno.

Num eventual (e improvável) segundo turno com Yeda, o candidato do PT, Tarso Genro, teria 59% das intenções de voto, contra 24%. Esses dados mostram que os índices eleitorais de Serra no RS são, no mínimo, instáveis.


A tabela acima contém uma particularidade que me chamou a atenção. Yeda é fraca entre as mulheres e, neste caso, não se pode atribuir ao baixo grau de informação, visto que a governadora é naturalmente conhecida pela totalidade dos gaúchos. Essa debilidade entre as mulheres é outro fato que prejudicará Serra, pois o tucano apenas tem evitado uma derrocada muito grande nas pesquisas através da vantagem que mantém sobre sua adversária entre o eleitorado feminino.


Num mais provável segundo turno contra Fogaça, o petista mantém uma vantagem (menos) folgada. Fogaça (PMDB) será tentado a dar palanque à Serra, mas ficará numa saia justa perante o apoio oficial de seu próprio partido à Dilma Rousseff. Tarso Genro, ao contrário, terá a vantagem múltipla de sair na frente, ser opositor de Yeda Crusius (já o PMDB gaúcho era aliado de Yeda) e pertencer ao mesmo partido que Lula e Dilma.



E agora compare a popularidade de Yeda Crusius e Lula no Rio Grande do Sul.


Quando começar a campanha e os eleitores gaúchos forem lembrados diariamente que Serra é do PSDB, o mesmo partido da governadora Yeda Crusius, não me parece que isto deverá beneficiar o tucano.

*

Outras tabelas desta última pesquisa Ibope apontam mais fragilidades eleitorais de Serra no Rio Grande do Sul. Confiram a espontânea, por exemplo.

P.04) Pensando na eleição para Presidente da República, em quem o(a) sr(a) votaria para Presidente da República se a eleição fosse hoje? (Espontânea)



Observem (acima) que Dilma e Serra estão empatados tecnicamente na espontânea. Na tabela abaixo, que traz a pesquisa estimulada, note que os dois principais candidatos empatam tecnicamente entre os homens.

A diferença maior de Serra sobre Dilma está entre as mulheres. Agora observe os números relativos à escolaridade (tabela acima). A vantagem do tucano se concentra entre as pessoas com apenas o ensino fundamental. Ou seja, com menor informação sobre os candidatos. Entre as pessoas com ensino superior, Dilma tem uma vantagem de seis pontos na espontânea, 32% contra 26% de Serra. Isso confirma a tendência de crescimento da petista na medida em que aumenta o grau de conhecimento do eleitorado sobre ela.

P.10) Se a eleição para Presidente da República fosse hoje e os candidatos fossem estes, em quem o(a) sr(a) votaria?

*

Para o Senado, os tucanos não tem ninguém da base aliada para lhes puxar votos no Rio Grande do Sul. Deverão se aliar a Germano Rigotto, que lhes é simpático, mas o PMDB, lembrando, coligou-se oficialmente com Dilma... Por este e por mil outros motivos, Rigotto deverá focar sua campanha em si mesmo, não em Serra. O PP de Ana Amélia Lemos (também bem colocada nas pesquisas) acaba de emitir comunicado nacional de que, apesar de não coligado oficialmente, lutará pela vitória de Dilma Rousseff.

Estadão é único a dar voz ao sindicato de auditores fiscais

4 comentarios

O Estadão, apesar (ou talvez justamente por isso mesmo) de adotar a linha mais transparentemente anti-Lula, foi o único jornal a dar voz a um comunicado do Sindicato Nacional dos Auditores da Receita Federal (Sindfisco) no qual se fornece explicações conceituais sobre o acesso aos dados do tucano Eduardo Jorge.

Entretanto, como a explicação atrapalha a tese de que uma "equipe de inteligência" de Dilma fez um dossiê contra um aliado de Serra, o Globo e a Folha simplesmente ignoraram o texto. Não o divulgaram. Agiram como se ele não existisse.

O próprio Estadão transcreve o comunicado com nítida má-vontade, visto que não põe em destaque o que é, na verdade, a explicação mais racional. Toda a imprensa vem fazendo uma grande confusão, denunciou o sindicato. A função do auditor da Receita é justamente entrar na conta das pessoas e empresas para cruzar informações fiscais. É pago para isso. O crime não está aí. O crime está em vazar informações para fora do recinto.

As declarações do secretário da Receita, Otacílio Cartaxo, e o comunicado do Sindfisco, complementam-se e permitem tirar conclusões contrárias às teses ventiladas pela imprensa e seus colunistas:
  1. O ambiente funcional da Receita não é partidarizado. Todos os funcionários da Receita entraram na instituição através dos concursos mais difíceis do país, e também recebem os mais altos salários da República. Não há nenhum clima para se defender este ou aquele candidato. Ao contrário, a maioria dos funcionários da Receita são indivíduos conservadores e muito pouco simpáticos ao PT. 
  2. Os funcionários sabem muito bem que seus acessos são todos registrados. Seria uma estupidez incompatível com o nível técnico de um auditor da Receita entrar indevidamente nos arquivos de um político. Ainda mais de um político! Ainda mais de um político da oposição! 
  3. Sindfisco e Cartaxo não descartam, naturalmente, algum ilícito por parte de um funcionário. É loucura, no entanto, pensar que um funcionário poria em risco seu emprego e sua liberdade para prejudicar gratuitamente um político. Somente uma propina muito grande poderia corromper um auditor a fazer uma coisa dessas. 
  4. É o tipo de coisa que não se faz por "ideologia" ou "petismo", como a imprensa quer dar a entender. Apenas por dinheiro mesmo. Muita grana. E não faz sentido que  a "equipe de inteligência" de Dilma tenha pago uma fortuna, arriscando-se terrivelmente e cometendo um crime gravíssimo, para fazer um dossiê totalmente inócuo para os rumos da campanha. 
  5. A única parte realmente interessada em conhecer a fundo os imbróglios fiscais de Eduardo Jorge é o próprio Eduardo Jorge. Se alguém subornou um funcionário da Receita, a lógica manda dizer que foi ele. O auditor corrupto poderia fazê-lo pensando que EJ nunca pensaria em vazar seus próprios documentos. Mas EJ, ao verificar que os documentos não tinham nada de explosivamente comprometedor (e pagou para tê-los à sua disposição justamente para saber disso, e tranquilizar-se), resolveu usá-los de outra maneira. Entregou-os à Folha e ajudou a montar a tese de que o seu sigilo fiscal fora violado. A Folha e outros jornais adotam a tática goebbelliana de repetir a tese da "equipe de inteligência" de Dilma e da montagem de um dossiê até que ela se infiltre no inconsciente de vastos setores da sociedade.
  6. Sem contar que EJ pode acessar seus dados com sua própria senha e CPF. Esses caras são tão carasdepau que não me surpreenderia que não passou disso. 
  7. Cartaxo afirmou que não será possível concluir a investigação antes dos prazos determinados por lei para procedimentos como esse (3 ou 4 meses), e o Sindfisco disse que é improvável que tenha ocorrido acesso "não-motivado", ou seja, ilegal. Considerando tudo isso, vemos que este não foi um jogo armado para encontrar culpados, mas apenas para produzir factóides eleitorais negativos para Dilma. 
Por fim, as declarações de Serra, de que o secretário da Receita deveria revelar os nomes dos auditores que tiveram acesso aos dados de Eduardo Jorge, mostram mais uma vez um político inescrupuloso, que não hesita em jogar inocentes às feras, desde que isso sirva para lhe beneficiar eleitoralmente. Ou antes, é apenas cinismo, visto que ele sabe muito bem que Cartaxo não poderia cometer uma imprudência e uma injustiça dessas, de lançar no lamaçal do jogo sujo político nomes de auditores que nada mais fizeram que exercer o seu ofício. 

14 de julho de 2010

Bala de prata será disparada pelo TSE?

12 comentarios





Eis o que Lula disse em seu discurso:

A verdade é a seguinte: eu não posso deixar de dizer, aqui, que nós devemos o sucesso disto tudo que a gente está comemorando a uma mulher. Eu nem poderia falar o nome dela porque tem um processo eleitoral, mas a história a gente também não pode esconder por causa de eleição.

(...) A verdade é que a companheira Dilma Rousseff assumiu a responsabilidade de fazer esse TAV [trem-bala], e foi ela que cuidou, junto com a Miriam Belchior, junto com a Erenice [Guerra]. Não podemos negar isso.

Foi só. Mas o bastante para os grandes jornais amanhecerem hasteando uma bandeira negra com uma caveira no meio. Todos falando em impugnação da candidatura. Eu estou ficando muito confuso. Lula não pode mais sequer mencionar o nome "Dilma"?

Será possível que juízes do Tribunal Superior Eleitoral irão ceder a essa chantagem truculenta da mídia?

Será possivel que o PSDB e mídia tentarão, de fato, ganhar o pleito deste ano no tapetão? Ou ainda: tentarão manchar a idoneidade do processo democrático nacional com acusações cada vez mais pueris contra o presidente da república?

Ontem condenou-se Lula porque ele usou o termo "sequenciamento". Hoje pregam a impugnação da candidata líder nas pesquisas porque o presidente mencionou seu nome. O que será do amanhã? Justificarão um golpe de Estado do tipo hondurenho porque Lula, durante um evento, piscou o olho para a ex-ministra? Já posso visualizar a manchete e a chamada de capa:

Lula tenta enganar TSE e é expulso do país

O presidente Lula foi flagrado, na tarde de ontem, piscando o olho direito para a ex-ministra Dilma Rousseff durante evento realizado em São Paulo, num claro sinal de que apóia a candidata.  Juristas consultados pela Folha afirmam que o gesto configura propaganda indevida e pode ser a prova que faltava para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassar o registro da candidatura Dilma Rousseff. Acionado pelo TSE, o exército invadiu os aposentos do presidente pela madrugada, prendeu-o, e levou-o para local ainda não informado, fora do país. Dilma também teve ordem de prisão decretada e deverá ser levada para o mesmo lugar.